quarta-feira, 21 de maio de 2014

O privilégio da oração


Por Alexandre Nobre

“Eu, porém, faço a minha oração a ti, Senhor, num tempo aceitável; ó Deus, ouve-me segundo a grandeza da tua misericórdia, segundo a verdade da tua salvação.” (Sl 69:13)


Uma colega postou em uma rede social que houve um aumento no uso de antidepressivos  na última década; essa informação, porém, não me surpreende. A tecnologia, os meios de transporte mais acessíveis e a facilidade de informação e comunicação poderiam minimizar distâncias e aproximar mais as pessoas; no entanto o contrário tem ocorrido e a solidão impera, principalmente nas grandes cidades. Pessoas que aparentemente vivem rodeadas de amigos choram sozinhas em seus quartos. Realmente são dias trabalhosos.
Invariavelmente, seja você um cristão ou não, todos podemos passar por momentos de depressão e angústias extremas. Mas, você pode estar se perguntando, o que esse assunto tem a ver com a oração? Tudo! Isso mesmo; eu tenho provado em minha vida o favor da oração e, como procuro escrever a partir de experiências reais e pessoais, senti o desejo de compartilhar com vocês como a oração pode, em diversas situações, ser um refúgio aqueles que sofrem e oferecer grandes benefícios aos que a praticam.
Obviamente, não é a oração em si que pode nos trazer alívio; pois ela é apenas um meio pelo qual nos comunicamos com Deus e Dele, apenas Dele, pode vir o socorro nos momentos de tribulação. Tiago escreveu que “a oração de um justo pode muito em seus efeitos” (Tg 5:16); e aí encontra-se um mistério ainda maior: a oração beneficia não apenas quem ora, mas sobre aqueles por quem oramos. Por isso, insisto que a oração deve ser uma prática constante em nossas vidas.
Mas o que podemos fazer quando nos sentimos fracos, desanimados, e não temos forças para praticar a oração? A resposta, assim como a prática, não é fácil, mas é pela experiência nas situações vividas que vemos que vale a pena insistir na oração, pois como tudo o que é relacionado à vida espiritual, precisamos batalhar para mantermos nossa disciplina e agir de acordo com as forças que do Senhor recebemos.
Quero apenas apresentar nesse texto o tema proposto: o privilégio que temos em orar. E isso baseado nas Escrituras, pois é pela Palavra que aprendemos quando e como orar.
A oração como forma de adoração: Adorar a Deus atualmente parece algo distante em muitas igrejas. As músicas e orações estão demais centralizadas no homem e o resultado disso é um compromisso fraco, oco e sem frutos. A oração não é apenas pedir; a petição sim faz parte dela, mas por mais óbvio que seja não é apenas pedir. É necessário exaltar ao Senhor e isso só é possível se O conhecermos através dos seus atributos; vejamos um exemplo:
“Senhor, Senhor Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade." (Ex 34:6);
“Óh Senhor dos Exércitos, Deus de Israel, que habitas entre os querubins; tu mesmo, só tu és Deus de todos os reinos da terra; tu fizeste os céus e a terra.” (Is 37:16);
“E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” (Jo 17:3).
Perceberam? Moisés declarou a “longanimidade” de Deus; Isaías afirmou Sua “soberania” e o próprio Senhor Jesus expressou, em Sua oração sacerdotal, a “onipotência” de Deus. As nossas orações devem admitir a natureza do nosso Deus e Seus atributos; se você não conhece quais são, recomendo que estude os atributos de Deus. Um bom começo é o livro de A. W. Pink: “Os atributos de Deus”. No final dessa postagem vou deixar o link para download desse e-book em um site totalmente autorizado para esse fim.
A oração em forma de súplica: É evidente que precisamos clamar a Deus em nosso socorro quando precisamos. O próprio Senhor nos estimula a isso em Sua Palavra (Fp 4:6); vejamos:
“Senhor, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos; endireita diante de mim o teu caminho.” (Sl 5:8);
“Volta-te, Senhor, livra a minha alma; salva-me por tua benignidade.” (Sl 6:4);
“O pão nosso de cada dia nos dá hoje.” (Mt 6:11).
Clamar ao Senhor por socorro ou por bens é totalmente confirmado nas Escrituras, inclusive pelo próprio Senhor Jesus. Agora por último, veremos:
A oração em forma de agradecimento: O Senhor nos assegura que nossa oração é ouvida e atendida. João escreveu isso claramente: “E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos.” (I Jo 5:15). Vejamos alguns exemplos de oração em agradecimento:
“Disse então Maria: A minha alma engrandece ao Senhor; e o meu espírito em Deus meu Salvador. Porque me fez grandes coisas o Poderoso; e santo é o Seu nome” (Lc 1:46-48, 49);
“Para que a minha glória a ti cante louvores, e não se cale. Senhor, meu Deus, eu te louvarei para sempre.” (Sl 30:12);
“A ti, ó Deus, glorificamos, a ti damos louvor, pois o teu nome está perto, as tuas maravilhas o declaram.” (Sl 75:1);
E direis naquele dia: Dai graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei notório os seus feitos entre os povos, contai quão excelso é o seu nome.” (Is 12:4).
Como podemos ver a oração é um momento de íntima comunhão entre Deus e Seus filhos.  Há nas Escrituras encorajamento do próprio Senhor para que O busquemos num relacionamento mais próximo e que nossa oração seja feita de forma livre, sem fórmulas ou regras. Por isso quero esclarecer que, apesar de eu ter apresentado tipos ou características de orações, o meu conselho é que você siga as orientações do Senhor quando disse:
“Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.” (Mt 6:6).
Percebe? A oração é algo de secreta intimidade com o Senhor. Então, não se prive desse privilégio: Ore! Tem uma frase do teólogo americano do século XVIII, Jonathan Edwards, que diz: “Ore até que você tenha orado”. Seja insistente, persistente; lembram-se da viúva pobre em Lucas 18:1-8? John Bunyan, pregador e puritano do século XXVII disse: “Ore com frequência, porque a oração é um escudo para a alma, um sacrifício a Deus, e um flagelo para Satanás”.
Portanto meus irmãos agarrem-se à oração. Lembram-se do início do texto, sobre a aflição de nossos dias, o aumento da depressão e a solidão tão presentes nos dias atuais? Pois para isso a Palavra, sempre atual, nos aconselha através do nosso irmão Tiago: “Está alguém entre vós aflito: ore”. (Tg 5:13).
Agora respondendo à pergunta do início, sobre o que podemos fazer quando nos sentimos fracos e desanimados, meu conselho é:
1. Coloque-se diante de Deus; não tenha pressa;
2. Procure nesse momento trazer à sua memória aquilo que Deus fez no passado, as obras de Suas mãos;
3. Medite, se possível, em alguma passagem das Escrituras, de preferência algum salmo onde os atributos de Deus são citados diversas vezes;
4. Adore ao Senhor pelos Seus atributos; procure entender cada um deles; deleite-se em saber que nosso Deus é esse Ser tão completo em Si, tão grande e poderoso e que ao mesmo tempo nos olha com Seu olhar de misericórdia.
Como eu disse, não há regras para orar, mas esses passos muitas vezes me ajudaram a iniciar uma oração, quando estava fraco e cansado. Confesso que preciso orar mais; acredito que você também, por isso não negligenciemos nossos momentos com nosso Pai, pois fazê-lo seria como um doente que foge do lugar de cura ou do prisioneiro que esconde-se das portas abertas de sua prisão. Ore com seu coração aberto, confiando que Deus te ouve e que em Seu tempo te responderá.
Abaixo vou deixar mais um link para um ótimo texto, que apresenta, entre outras formas de crescer na graça, também a oração. Recomendo a leitura.

 
Que o Deus de paz nos ajude!
 
 
Download do e-book sobre os atributos de Deus: Os atributos de Deus
Se o link não funcionar, me escreva que terei prazer em te enviar o e-book – anobre77@yahoo.com.br

Crescer na graça e oração: Crescer na graça e na oração

 

2 comentários:

Cássia Andrade disse...

Muito edificante, saber que orar é um ato de intimidade com o Pai, que vai além das palavras, pois até no silêncio, quando elas faltam estamos orando e também no silêncio podemos ouvir a voz de Deus falando conosco, afinal orar é conversar com o Pai, falar e também ouvir...Glória a Deus!!
Deus Abençoe, Alexandre que o Espírito Santo continue inspirando você para escrever mensagens edificantes como esta.
Shalom =)

By: Cássia Andrade

Alexandre Nobre disse...

Obrigado Cássia! Deus te abençoe ricamente na paz do Mestre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...